Ricardo Wagner volta pintar e retoma seu processo criativo

Publicado Segunda, 27 Mai 2019 14:32
“O Universo”: Detalhe do painel de 8 m de largura e 4 m de altura, com 280 figuras que exprimem o estado de espírito do homem © Fotos: Divulgação / cedidas Ricardo Wagner “O Universo”: Detalhe do painel de 8 m de largura e 4 m de altura, com 280 figuras que exprimem o estado de espírito do homem © Fotos: Divulgação / cedidas Ricardo Wagner

Ainda muito sensibilizado com a perda da esposa, o artista plástico transforma o momento de dor em estudo para um novo processo criativo, com obras que vão continuar vivas como nunca, despertando sentimentos e em resposta às emoções. Ele ainda planeja uma exposição para marcar seu retorno à pintura.

É possível separar a obra do artista? Certamente não. O artista carrega consigo as características de sua arte, e esta emana de um de seus sentimentos mais fortes e nobres: a paixão. Ainda muito emotivo pela perda da esposa, há cerca de um ano, o artista plástico Ricardo Wagner, morador do Ville de Montagne, resolveu potencializar seu sentimento de dor e as lembranças de sua amada para conceber um novo processo criativo. Ele, que sempre gostou de materializar as emoções humanas, agarrou a uma delas e está de volta à criação com um trabalho primoroso, rico em detalhes e cores. O artista já planeja uma grande exposição para mostrar a sua obra.

Ricardo Wagner é considerado um dos maiores retratistas clássicos do Brasil. Personalidades, socialities, artistas e pessoas famosas tiveram portraits feitos por ele. A atriz Tônia Carrero, o estilista Denner, dona Olga Gutierrez, Solanda Teixeira da Costa, Zilda Couto e outros tantos nomes posaram para Ricardo. No passado, chegou a pintar 40 retratos de ex-prefeitos de Belo Horizonte, em apenas 30 dias.

“Sou fruto da observação”

Sua paixão pelo desenho começou aos três anos, quando trocava, com predileção, qualquer brinquedo por um caderno e lápis. Aos 20 anos, já era um autodidata e tinha por inspiração os pintores europeus. Em cada pintura que produzia perseguia os detalhes, as nuances e o jogo de luz de artistas da escola europeia até dominar a técnica. “Sou fruto da observação. Não tive mestres nem escolas, minha técnica provém da minha emoção. Nasci desenhando e, desde sempre, tenho procurado reproduzir em minhas telas todas as impressões que a vida tem depositado em mim”, explica o artista.

Para Ricardo, a figura humana sempre esteve em sua vida como um ímã, atraindo sua observação até transformá-la em arte. “Todo o meu processo artístico se baseia na emoção humana, nas minhas emoções como humanista”, explica. E é fácil entender de onde vem tanta sensibilidade para a arte. A mãe era professora de piano, o pai tocava violão e compunha. A esposa, Regina Célia de Ávila Pimenta, com quem teve três filhos, também era artista, pintava quadros e dava vida às flores coloridas sulcadas em finas porcelanas. Ela definia o artista assim: “Há sempre uma atmosfera de beleza envolvendo cada detalhe da sua obra”.

“O Universo”

E nada ilustra melhor essa impressão que a sua grande obra “O Universo”, que para o artista é uma homenagem ao ser humano. “Essa obra reverencia o ser universal e suas tão complexas emoções, independentemente de suas pátrias, raças, religiões” comenta. A obra, que tem 8 metros de largura e 4 m de altura, possui 280 figuras que exprimem o estado de espírito do homem, com uma riqueza ímpar de detalhes e sentimentos. Ela retrata três grandes momentos: o início dos tempos, a terra, quente e irrequieta; no segundo, ao centro está a eterna luta entre o bem e o mal; e no terceiro, a terra fria, assentada. E materializa algumas emoções humanas, através da evolução dos costumes e comportamentos. Ali estão figuras humanas que representam sentimentos e emoções mais diferentes como o abandono, a loucura, a falsidade, a dúvida, o amor, a altivez, a servidão, a gula, a alegria, a seriedade, o ritual.

A obra, de proporções monumentais, pintada durante dois anos e meio, deveria ser um painel para a inauguração da Casa do Advogado”, sede da OAB/MG, como desejava o então secretário da “Secção Minas Gerais”, Segismundo Gontijo Soares, em um de seus mandatos. Inicialmente, o tema seria ‘O juízo final’. Infelizmente, não foi possível convencer os conselheiros da importância do painel naquela herança material que os advogados deixariam para as futuras gerações. O esforço de Segismundo foi em vão, aquela que seria a obra-prima de Ricardo Wagner para a prosperidade acabou perdendo o lugar na Casa, em função da falta de recursos para investir em arte e também porque consideravam que o quadro “com tantas figuras e detalhes iria distrair a atenção dos que comparecesse ao auditório para as conferências”, ou seja, iria disputar com os conferencistas a atenção. 

O painel está no Esopo, a Taberna dos Tempos, um misto de restaurante e casa de shows de inspiração medieval. Fundado por ele em sua residência, em 1987, onde está seu atelier, o Esopo hoje ocupa um casarão no Vale do Sereno, onde há apresentações às sextas-feiras e sábados.   

As obras de Ricardo Wagner se encontram em coleções particulares do Brasil e do exterior. O empresário e ex-vice-presidente, José Alencar Gomes da Silva, era tão fã de seu trabalho que queria construir um museu para receber a obra Universo do artista.

O ex-diretor do MASP, Pietro Maria Bardi, ao contemplá-la disse que “tratava-se de um fenômeno no Brasil, onde somente Cândido Portinari enfrentou obras de tão amplo espaço”. Bardi quis levar a obra para o MASP, mas fora impedido por dois empecilhos: no primeiro andar por causa da sua dimensão a obra não cabia; e, no andar superior, figuravam apenas pintores já falecidos.

A obra de Ricardo Wagner continua viva como nunca, despertando sentimentos, curando emoções nos momentos mais delicados. Afinal, como separar o artista da sua obra se na realidade a arte é a inquietação constante de seu criador, a sua identidade?

Agora que voltou a pintar, Ricardo Wagner está atendendo em seu atelier, onde recebe visitas agendadas pelo telefone (31) 986830655.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!